brunodugo . The Crispy Crispy | Blog .: Homo Sapiens.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Homo Sapiens.

Essa é a preferida do dia de ontem.

__________________

Havia um tempo no qual eu olhava no espelho e via beleza.
Depois passei a não enxergar tanta alegria no meu singelo rosto.
Medo, algo que eu não sei explicar.
Mas hoje eu olho e consigo enxergar a beleza por sí só.
Estou feliz. Hoje eu realmente sinto que estou no caminho certo.
O que me deixa extremamente indignado é o fato dos Brasileiros, falando em um modo geral, viverem por viver.
Saber que as pessoas pensam em estudar, crescer no trabalho, ganhar dinheiro, e ganhar dinheiro, e ganhar dinheiro, até morrer.
Onde este mundo vai parar?
Eu não farei igual a todos. E estou sendo muito franco em dizer isso.
As vezes pode parecer rebeldia, todavia, não é, realmente não é.
O meu intuito não é ser podre de rico, pois os podres na maioria das vezes continuam podre de inteligência, podre de idéias, podre de vida. Que vida eles têm?
Prefiro ser um pobre de dinheiro a ser um pobre de espírito, um mero porco inútil no mundo.
Francamente, a falta de cultura é o que estraga este povo lutador e defensor dos fracos e oprimidos. Cultura essa, a qual sobe à cabeça humana fazendo-os esquecer de viver sua própria vida. Cultura, a tal, mais conhecida por cultura inútil.
E ao meu leitor, que muitas vezes pode alegar: -Quem é você, Bruno, para falar de cultura inútil?
Sou alguém, que não se encaixa na população que vive por viver. Sou humano, fazendo júz ao nome que nos classifica como alguém; nome esse, que seguido ao pé da letra, justifica a razão de se viver. Homo Sapiens.
Usufruindo dos direitos da Wikipédia, concretizarei meu texto.
Nós, humanos, podemos ser definidos em termos biológicos e sociais. Bilógicamente falando, os humanos são classificados como a espécie Homo Sapiens, a qual, nos seus princípios de origem, o Latin, significa, homem sábio, homem racional. Diga-se de passagem que a população mundial não faz valer a pena o nome pelo qual os classifica.
Seguindo pelo fato de que a mente humana tem vários atributos distintos e é responsável pela complexidade do comportamento humano, especialmente a linguagem, digo que mais uma vez, a população não está fazendo por merecer o nome que os estabelece na terminologia.
Entretanto, posso afirmar, que mesmo o humano possuindo tantos atributos distintos e complexos, a população em massa vive por viver, e os que se sobressaem, na maioria das vezes, se não todas, tornam-se ricos. Aceitando o fato de que muitas das pessoas bem vividas, acreditadas em sí e diferentes em pensamento do resto da população, por ironia do destino, nasceram com o futuro planejado, ou melhor, com 'dinheiro no bolso' e puderam fazer da vida um diferencial. Mas, mais uma vez, aceitando o fato de que mesmo sem grana, 'começando por baixo' e acreditando no próprio potêncial, qualquer um pode fazer da sua vida diferente das vontades estipuladas pela massa.
Rematando, afirmo obter cultura na maioria das vezes que não tenho nada a fazer. E por caminhar há mais ou menos um ano sem muito o que fazer, posso alegar que possuo muito mais que uma cultura inútil. Por sua vez, ou melhor, minha vez, faço em juízo, o nome pelo qual me encaixa nos seres do mundo.

Bruno; ser humano; homo sapiens; primata bípete com postura ereta; cérebro bem desenvolvido com capacidade em raciocínio abstrato, linguagem e instrospecção; complexo; macho juvenil; espírito lúcido; capaz de clareza e penetração de inteligência.

*

3 comentários:

Tiago Campos disse...

Lendo seu texto, me lembrei de "poucos conseguem viver, a maioria das pessoas aepnas existe" (Oscar Wilde)

gostei do seu texto

;)

Carlos Eduardo disse...

Texto muito bom.
Muito me interessa o assunto, ainda mais a sua auto-definição final.
"(...) capaz de clareza e penetração de inteligência."


Me desculpe ausência, mas deixo claro porém, que não o visito por obrigação, muito pelo contrário.

Um beijo.

Gustavo disse...

Sabe, você é um gênio. Adorei tudo que li, e sim, muitas pessoas estão nesse mundo vivendo por viver e nem sabe o motivo pra que querem tanto dinheiro. O que eu tento entender é que se essa é a vida que eles 'escolheram' então pra eles deve estar bom. Não sei se já comentei contigo sobre a maneira que penso as vezes em relação ao mundo? Que existem apenas alguns protagonistas e a grande massa são figurantes que estão ali pra você não passar sozinho em alguma rua. É díficil e complexo de entender, e graças a Deus cada um pensa uma coisa. Eu só agradeço de conhecer pessoas-protagonistas como você! Muito bom o texto! ;* AMO-TE