brunodugo . The Crispy Crispy | Blog .: Junho 2008

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Comparação.

Ta aí, você quer um bom tema?
Comparação.
O ato de comparar algo é extremamente chato.
Odeio quando sou comparado, todavia, não comparo.
Vamos começar pelo fato das pessoas compararem suas roupas.
-'Olha Bruno, aquela bichinha está usando uma calça igual a sua, hahaha, você usa calça de bichinha.'
Primeiro, que se o cara tem bom gosto, não significa que eu seja bichinha, mesmo pelo fato de que homo sou, e graças a minha boa família, não preciso esconder isso, no entanto estou mais uma vez gritando para todo mundo ouvir, mas é por uma boa causa, afinal não meço esforços para concluír meus textos.
Voltando; Simplesmente detesto quando pessoas me comparam por fotos, do tipo:
-'Nossa que foto linda Bruno, nem parece você'.
Fico quase a socar o rosto do indivíduo.
Enfim, entre diversas opções de comparação, essas são as que mais me irritam, sobre outras, prefiro não comentar.

*

domingo, 29 de junho de 2008

Viva la Vida.

Com a risada sem graça me dou ao luxo de sentir-me um entusiasta.
Envolto de um banho de água gelada, sigo a minha vida.
Viva la Vida.

*

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Júbilo.

E os dias estão sendo produtivos.
O poder da persuasão é muito interessante; e outra, a conversa torna-se produtiva quando se tem afinidade, claro; mas quando a arte de persuadir entra em vigor, a meu caro, nem eu consigo me segurar.
-Vamos brincar! Diz a mente perversa, visando o lucro e o bem estar de suas idéias.
Mas não sei se estou certo, pelo menos parece.
[Um tanto quanto confuso, não?]
Bom. Mudando de gato para cachorro; por quantas anda o tesão?
Este anda em supremacia.
O tesão tem falado mais alto, tenho feito coisas do tipo: Cara de pau.
E põe cara de pau nisso.
Ando procurando o movimento ao Júbilo, se é que me entendem, no entanto, faço do meu instinto genésico somente movimento, afinal o Júbilo extraordinário parece estar longe de chegar.Ou não.
Amanhã é outro dia.

*

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Homo Sapiens.

Essa é a preferida do dia de ontem.

__________________

Havia um tempo no qual eu olhava no espelho e via beleza.
Depois passei a não enxergar tanta alegria no meu singelo rosto.
Medo, algo que eu não sei explicar.
Mas hoje eu olho e consigo enxergar a beleza por sí só.
Estou feliz. Hoje eu realmente sinto que estou no caminho certo.
O que me deixa extremamente indignado é o fato dos Brasileiros, falando em um modo geral, viverem por viver.
Saber que as pessoas pensam em estudar, crescer no trabalho, ganhar dinheiro, e ganhar dinheiro, e ganhar dinheiro, até morrer.
Onde este mundo vai parar?
Eu não farei igual a todos. E estou sendo muito franco em dizer isso.
As vezes pode parecer rebeldia, todavia, não é, realmente não é.
O meu intuito não é ser podre de rico, pois os podres na maioria das vezes continuam podre de inteligência, podre de idéias, podre de vida. Que vida eles têm?
Prefiro ser um pobre de dinheiro a ser um pobre de espírito, um mero porco inútil no mundo.
Francamente, a falta de cultura é o que estraga este povo lutador e defensor dos fracos e oprimidos. Cultura essa, a qual sobe à cabeça humana fazendo-os esquecer de viver sua própria vida. Cultura, a tal, mais conhecida por cultura inútil.
E ao meu leitor, que muitas vezes pode alegar: -Quem é você, Bruno, para falar de cultura inútil?
Sou alguém, que não se encaixa na população que vive por viver. Sou humano, fazendo júz ao nome que nos classifica como alguém; nome esse, que seguido ao pé da letra, justifica a razão de se viver. Homo Sapiens.
Usufruindo dos direitos da Wikipédia, concretizarei meu texto.
Nós, humanos, podemos ser definidos em termos biológicos e sociais. Bilógicamente falando, os humanos são classificados como a espécie Homo Sapiens, a qual, nos seus princípios de origem, o Latin, significa, homem sábio, homem racional. Diga-se de passagem que a população mundial não faz valer a pena o nome pelo qual os classifica.
Seguindo pelo fato de que a mente humana tem vários atributos distintos e é responsável pela complexidade do comportamento humano, especialmente a linguagem, digo que mais uma vez, a população não está fazendo por merecer o nome que os estabelece na terminologia.
Entretanto, posso afirmar, que mesmo o humano possuindo tantos atributos distintos e complexos, a população em massa vive por viver, e os que se sobressaem, na maioria das vezes, se não todas, tornam-se ricos. Aceitando o fato de que muitas das pessoas bem vividas, acreditadas em sí e diferentes em pensamento do resto da população, por ironia do destino, nasceram com o futuro planejado, ou melhor, com 'dinheiro no bolso' e puderam fazer da vida um diferencial. Mas, mais uma vez, aceitando o fato de que mesmo sem grana, 'começando por baixo' e acreditando no próprio potêncial, qualquer um pode fazer da sua vida diferente das vontades estipuladas pela massa.
Rematando, afirmo obter cultura na maioria das vezes que não tenho nada a fazer. E por caminhar há mais ou menos um ano sem muito o que fazer, posso alegar que possuo muito mais que uma cultura inútil. Por sua vez, ou melhor, minha vez, faço em juízo, o nome pelo qual me encaixa nos seres do mundo.

Bruno; ser humano; homo sapiens; primata bípete com postura ereta; cérebro bem desenvolvido com capacidade em raciocínio abstrato, linguagem e instrospecção; complexo; macho juvenil; espírito lúcido; capaz de clareza e penetração de inteligência.

*

terça-feira, 17 de junho de 2008

Seja você mesmo.

A internet tem dessas de 'curiosidade'.
E coloca curiosidade nisso.
Posso dizer que chego a ficar excitado, no sentido literal da palavra, só de pensar no que pode acontecer.
Porém, faço das minhas palavras, ocultas, para que quem venha a ler, possa não enchergar.
Ando me revelando demais; enfim, não ligo.
Agora eu penso:
Fazer das palavras ocultas?
Como?
Enfim, whatever.
P.S.: Sr. Puto anônimo, ou sei lá quem, você realmente meche com as minhas cabeças!

____________________

É incrível como existem pessoas nessa cidade que realmente não vão com a minha cara.
Todavia, existem pessoas que me conheceram em momentos insanos da minha vida e passaram tempos me procurando por aí.
Eu tenho dessas de despertar interesses nos outros, e não é Egocentrísmo ou coisa do tipo, é verdade, o que eu posso fazer?
As vezes falando assim, pode até parecer que eu me acho, mas realmente gosto deste Q de pecado que reina em meu ser.
Finalizando, eu sei qual é a magia.
Ser eu mesmo, onde quer que eu esteja!
Seja você mesmo.

*

O Ovo frito.

Tem gente que desiste da vida, dos planos, dos sonhos.
Tem gente que 'dá sorte'.
Porém tem gente que corre atrás.
Este sou eu. Estou correndo e você?

____________________

Saldo de ontem:

Shopping com o Gustavo.
Duas Camisetas. Uma pra mim e uma pra ele.
Cú doce.
Dois Chás Matte com Leite.
Dois Pães de Batata.
Uma longa caminhada.
Friozinho básico, maravilhoso².
Outro shopping.
Um chop.
Muita música e muita conversa.
Muita risada e muita roupa não levada.
E o texto não tem nada a ver com o título.
Beijo Boka!

*

domingo, 15 de junho de 2008

Planos de vida.

A noite transbordou em tesão.
Caiu feito uma luva, e infelizmente já não tenho medo de expor quem eu sou.
Sou Bruno, um alguém com objetivos.
Um alguém, que mesmo por brincadeiras, mostra ter 'Planos de vida' a serem concretizados brevemente.
Um alguém no qual fez da noite passada puro prazer, mas hoje triste estou. Por brigas, por desfechos, por um talvez começo, por um talvez amor.
Triste pelo caminho, triste pelo destino, e mesmo com tanta tristeza e cansaço, tanto no corpo como na mente, faço de lágrimas interiores, felicidade e realização do meu ser.
Tenho em mente inúmeras vontades, mas ao pensar com a 'razão', faço das mesmas, apenas vontades.
E por aqui paro com melâncolismo, pois amanhã, será um dia especial.
Tenho um grande amigo, o qual completará mais um ano de vida.
O qual mesmo não mostrando felicidade, acredito eu, está feliz por ter um ano a mais à viver.
Ele sabe o quanto é especial pra mim, afinal, 'Planos de vida', vieram abordar meu pensamento, o qual só se contém com ele ao lado.
Por fim, recomendo o desespero da alma; todavia, é a sua vida que está em jogo.
Onde quer que você esteja, viva intensamente, saiba argumentar, saiba deixar de lado coisas menos importantes, para que no futuro, sua vida seja bem melhor.
Feliz Aniversário Gu; mesmo adiantado, os desejos tendem a serem cada vez melhores para ti.
'Friendships never ends.'

*

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Vamos agir!

E como o tempo passa, só de pensar que o tempo passa, o tempo já passou, e eu ainda estou aqui pensando que o tempo passa.
Vamos agir!

*

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Sentir-se bem.

Perguntar se eu estou bem?
Sim, eu me sinto bem.
Já não guardo as coisas ruins e nem levo merdas para casa, e isso muda muita coisa.
É quando eu paro para pensar, com o perdão da palavra:
Caralho, o mundo deu voltas!
E mesmo parecendo que eu continuo parado, não, eu não estou parado.
A vida acontece para mim e isso é mais do que fato, se é que existe algo 'mais do que fato'.
O acontecer, gira em torno do trabalho e principalmente em volta do 'entender-se', e pelo menos para mim isso muda muita coisa.
Eu trabalho para mim, e tenho meu plano de marketing em desenvolvimento, mas infelizmente, não tenho o apoio que gostaria de ter.
Mas sigo em frente, pois tenho força o suficiente para isso e muito mais.

____________________

Tenho que aprender que, Muito, não tem acento agudo.
Assim como, Mim, não conjuga verbo.

*

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Englishinging.

I'm total in the mood to do things like read and write.
Of course, in a crazy fucking style with my self english and my own mind travel.

____________________

Tomorrow I will do a New T-shirt, a new idea.
That will be the 4th T-shirt.
Há, I will do these to enjoy and win money.

____________________

When I think or try to write my orkut profile, I stoped on the time. My mind stay locked to write about me, and I really hate when this happen.
Shit.
So okay! Now I have to go to my rehearsal.
Bye!


*

Proeza de vulto.

O relógio mostrava sete e quinze quando desci do ônibus.
Atravessei a avenida correndo e esperei do outro lado o caminhão passar.
Com os pés dormentes e a sensação horrível de vento e chuva sobre a minha carcaça caminhei sobre paralelepípedos até o asfalto chegar.
Pulei a corrente feliz em quebrar a regra de 'não ultrapasse', e um singelo sorriso fez-se vida em meu ser/estar.
O moleton repleto em água e o óculos de sol refletindo o cinza fez-me imaginar o impossível, e pulando poças d'água fiz-me herói por caminhar.
Optei pelo caminho mais longo para que quando eu chegasse ao recinto desejado fizesse da longa caminhada uma história híbrida a se guardar.
Subi a rua, que naquela hora, com aquele clima e naquele estado fez-se íngreme tornando meus calcanhares ainda mais dormentes.
Nem um'alma para contar história.
O pensamento latejando ríspido tornou o caminho ainda mais cansativo fazendo-me ainda mais herói por aguentar tamanha façanha; proeza de vulto.
O santuário estava próximo, tratando assim minha própria casa como aquilo que eu almejava no momento; e ao passar por ela fiz do ato heróico até então proeza.
Dobrei o cunhal e sem nenhuma pressa ou demontração de cansaço fiz do procedimento digno de censura, heróicidade tamanha devido à dormência de meus flagelados pés.
Fiz-me em incursão oculto pelo capuz, e sem muita paciência pedi logo por um pão-de-queijo.
Proporcionando o contentamento do proprietário paguei o mesmo e segredei o troco em doce.
Mais uma vez dobrando a esquina alcançei o portão com aprazimento, sentindo-me nobre pelo ato concretizado.
Provendo do benefício de estar em casa, fiz-me no direito de repouso; após à higiene básica de um bom ser humano, fiz-me em sossego e paz cerrando os olhos como em câmera lenta aguardando o cansaço passar.
O relógio marcava sete e trinta e cinco quando regozijei-me em sono.

*

domingo, 1 de junho de 2008

Nos embalos de sábado a noite.

'Nos embalos de sábado a noite, começei por beber em um simples bar com companhias mais que perfeitas. Lembranças e múita risada para dar início ao final de um sábado. Uma viajem não tão longa até o centro, acompanhado de uma garota mais que divertida.
E depois de esperar por um longo período, enfim caminhamos rumo ao destino final da noite.
Era domingo quando a pouca vergonha começou e já fui direto ao ponto.
A cara-de-pau como de costume foi a chave perfeita para fazer da noite uma loucura.
Calibrado em bebidas fiz da minha noite um momento insâno, e acompanhado de pessoas gratas à beleza que lhe fazem únicos, chacoalhei e cabeça como nunca antes, só para ter a sensação de que o mundo gira em torno do meu querido umbigo.
E só depois de algumas horas de pura malandragem, a noite fez sentido em minha mente.
Um casaquinho comum fez diferença no recinto.
Mas aquele casaquinho não sairá tão cedo de minha cabeça.
Tão bonitinho, serve direitinho; simples de uma forma que me chamou atenção.
Quando acomodado em minha perna, de maneira jogada, transparecia beleza por si só.
E envolto ao sono posso dizer que fui dormir feliz, por ter acabado a noite em um estado incrívelmente amplo em boas sensações.'

Usufruindo do bom português e de um pouco de imaginação, o qual não me falta, é que faço destas palavras um resumo da noite de ontem.
Deixando claro que nenhum fato ocorrido foi mentira.
Me refiro à imaginação nas linhas de fato.
Afinal fato é fato.

Beijo Boca.

*