brunodugo . The Crispy Crispy | Blog .: Outubro 2008

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Perdendo parafusos.

E cá estou novamente, de cueca velha e regata rasgada; típico mulambo nas horas vagas.
Cansado? Talvez. Acho que o dia de trabalho foi cansativo, mas depois que começa, é mais fácil terminar.
Chateado? Não mais. As dúvidas foram sanadas e estou aqui para desabafar.
Excitado? Também não. Sexo, prefiro não comentar.
Então eu me pergunto, porquê diabos estou aqui?
Estou esperando o final do mês chegar, pois logo entra novembro e cá estarei comemorando as duas décadas bem vividas de meu ser translúcido.
Todavia, como de costume falar, tenho muito a viver, e aguardo como a última coisa do mundo o final de novembro.
As férias que eu pedi a Deus.
Sinto realmente que esta cidade é muito pequena para mim, preciso de algo maior, preciso uma família unida sobre o mesmo teto, preciso de sonhos concretizados o mais rápido possível.
E O FUTURO NÃO ESTÁ LONGE MEU POVO!
Uhuull!
Estou realmente perdendo parafusos.
Total sem sentido!
Obrigado!

*

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Desculpa, hoje não é o meu dia.

E tudo não passa de uma farsa.
Picaretagem pura, tanto em relação ao trabalho, quanto ao bom divertimento.
Um bando de salafrários.
Bandidos.
Graças ao meu bom God, mesmo eu me sentindo em crise, saltitarei feliz completando duas décadas de vida.
Desperdício; sentirão falta, e no meu retorno, clamarão por meu suor e por minha presença.
Sendo assim, tristeza ou raiva, evacuarei acompanhado daquele que faz meus dias felizes.
Com um aperto no coração, mas com fé e convicção de que voltarei com toda fúria e em pleno vapor, para que aqueles que um dia duvidaram de mim, possam ter certeza de que o melhor está por vir.
Um verdadeiro filho da puta serei nos próximos dias, até que acabe a raiva que persiste dentro de mim.
Desculpa, hoje não é o meu dia.

*

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Grecco.

Oi meu nome é Milthon Grecco, porém como eu não gosto do primeiro nome, prefiro que me chamem de Grecco.
Desde pequeno fui aprendiz; aprendiz de cozinheiro, de costureiro, de enfermeiro, até rampeiro, mas em nenhuma das profissões fui bem sucedido, desde então resolvi não ser aprendiz de porra nenhuma, e assim segui minha vida na vagabundice pura.
Cresci no leito dos jovens salafrários, onde a maioria aprendia o errado achando bonito, fazendo dos bons negócios, uma cavidade sem fim; bem menos que os meus 16 anos.
Usei da boa vontade para ler livros e viajar pelo mundo através dos mesmos, mas grandes merdas, viajar sem sair do lugar não tem graça. Preferi ser 'analfa' por opção.
Até o dia em que me vi andando com os sapatos, um de cada cor, pelas ruas desta cidade que não cresce pra lugar algum. Uma semana para completar duas decadas de vida.
Jovem trabalhador, conquistador, viado, performista, só faltava um pinto pequeno, mas já não me cabiam defeitos, essa parte passou despercebida, graças a genética.
Pulei a cerca várias vezes até me ver sozinho, e quando menos esperei, vi que amigos eram aqueles que estavam lá.
Mas hoje ele se encontra parado no início da madrugada do dia, o qual, sucede o dia de ontem.

*

domingo, 19 de outubro de 2008

Fiz o que fiz e fiz o que eu quis.

Muita coisa aconteceu nesse último mês.
Minha vida mudou completamente devido a algumas escolhas.
Uns podem dizer que foi 'dinheiro jogado fora', porém o que eu gastei não paga o prazer e tudo o que eu descobri.
Os momentos vividos foram únicos, e inesquecíveis.
Vi que na vida os amigos de verdade são poucos, porém muitas pessoas se mostraram mais amigas que outras que tinham como obrigação prestigiar do momento.
Fiz o que fiz e fiz o que eu quis com muita vontade, porém o futuro, só Deus sabe.

*

terça-feira, 7 de outubro de 2008

'O pobre têm o seu lugar'.

As idéias transbordam a mente e a semana demora para passar.
Será que vou passar?
A vontade é de estar lá na outra semana.
A noite promete, pois pretendo fazer aquilo, o qual não fiz na USP quando tentei passar.
Porém, amanhã ainda é terça feira e muita coisa ainda pode rolar.
Já, quanto a noite de sábado, nunca me senti tão pesado em um devido lugar, cenas de horror e o TMA não abaixava, mas a consciência de que 'o pobre têm o seu lugar', estava sempre em primeiro lugar.
Pobre esse, digo de consciência... onde estará?

*

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Generalizar não é o caminho.

Nos preparativos para a terceira 'queimação de filme' como diz muito gente por aí.
O mais interessante é pensar em fazer algo decente, e como já coloquei na cabeça que meu futuro amoroso, não é aqui, seguirei de cabeça em pé, mesmo sabendo que a repercussão é grande.
Generalizar não é o caminho, afinal humanos todos nós somos, mas como já disse outras vezes, poucos fazem júz ao nome que vos classifica.
Bóra queimar filme outra vez?

____________________

Amo a vida que tenho, e seguirei sempre fazendo o que meu coração mandar.
Afinal tenho provas de que amigos tenho, graças a Deus.

*